Afago solidário

Projeto recebe crianças e adolescentes para mantê-los longe dos perigos da rua

Larissa Lago

Há 6 anos, a coordenadora geral Maria Elisângela de Lima, 38 anos, tem uma mesma rotina: receber crianças e adolescentes de famílias carentes, de 6 a 15 anos, no contra turno da escola. “Essas crianças são o nosso futuro, e não vamos aceitar um futuro sem amor, carinho e compreensão”, repete a coordenadora-geral da Associação de Apoio à Família, ao Grupo e à Comunidade (Afago) no Gama (DF).

A associação foi criada a partir do apelo de Chiara Lubich, uma italiana fundadora do Movimento dos Focolares, um movimento ecumênico com base na Igreja Católica. Em um evento para as famílias participantes, na década de 90, Chiara relatou a dor de ver crianças em orfanatos, sem suas famílias e pediu apoio. O pedido foi atendido.

 “A Afago atua apoiando as famílias de baixa renda que precisam trabalhar e não tem onde ou com quem deixar seus filhos, para que eles não fiquem sozinhos em casa ou na rua, correndo o risco de serem denunciados aos órgãos de proteção à criança, e assim podendo perder a guardar da criança”, disse.

Desafio

O desafio não é fácil, são 60 crianças e adolescentes matriculados na instituição que estão em situação de risco e vulnerabilidade social. “Mantê-los interessados é uma luta diária, precisamos que eles voltem todos os dias para que não fiquem sozinhos por ai”, contou a coordenadora.

A instituição oferece atividades socioeducativas distribuídas ao longo da semana, como dança, música, esportes, inclusão digital, leitura e arte. Além das atividades, as crianças e adolescentes também recebem refeições que são preparadas de forma saudável e nutricional. A rotina do dia a dia é acompanhada e amparada por três monitoras.

“Nosso trabalho não é só oferecer atividades e refeições para eles. Sabemos que muitos não recebem amor e atenção desejada em casa, muitos não têm uma família estruturada, então buscamos sempre demonstrar o quanto eles são importantes para nós, para a Afago”, definiu Maria Elisângela.

Apoio

A Associação de Apoio à Família, ao Grupo e à Comunidade (Afago) é mantida por meio de doações dos padrinhos italianos, brasileiros e da sociedade civil em geral. Conta ainda com algumas parcerias com o governo e da atuação de voluntários.

É possível colaborar por meio de doação e apadrinhamento – quando se torna padrinho ou madrinha de uma criança ou adolescente. O padrinho e a madrinha devem acompanhar o desenvolvimento de seu afilhado. Há, ainda, a opção da ajuda financeira, com custo médio mensal de R$ 160.

 “Em datas comemorativas, como o dia das crianças, por exemplo, a associação participa de campanhas para proporcionar um dia de lazer para as crianças se divertirem. Muitas vezes é a única opção que elas têm”, afirmou a coordenadora.

Marcas positivas

Nathanael dos Santos Lopes tem 19 anos e está cursando o último ano do Ensino Médio. Frequentou a Afago durante 14 anos e acredita que isso o ajudou bastante na hora de decidir o rumo de sua vida. “Sem dúvidas, se não fosse investido o meu tempo na associação, teria conhecido e ou deslumbrado o mundo das drogas e ilicitudes do gênero”, afirmou.

O estudante lembra com carinho do tempo que era criança e brincava na Afago, com os monitores o orientado nas atividades e a atenção que recebia. “Lembro do momento das brincadeiras lúdicas, a simplicidade com que eram ministradas. Naquele momento por alguns instantes esquecíamos da pressão familiar, pois nem todas eram estruturadas”, contou Nathanael.

Querendo retribuir todo carinho e amor que recebeu dentro da Afago, Nathanael se tornou voluntário e deu aula de dança na associação, mas seu objetivo principal era debater com os adolescentes sobre assuntos importantes como o uso de drogas, profissionalização e os desafios do futuro.

“Retornei à associação como voluntário, este período foi essencial na minha formação sócio pedagógica, principalmente no retribuir de alguma forma a reciprocidade e humanidade, os verdadeiros sentimentos de Afago”, contou o estudante.

A funcionária Sheila Martins cresceu fazendo parte do projeto. Hoje com 29 anos e formada em pedagogia, ela faz parte do quadro de funcionários da Associação e retribui todo seu aprendizado do tempo que era atendida pelo projeto.

“Foi uma experiência muito boa o tempo que frequentei quando era criança, eu me divertia muito, adorava as festas e os passeios. Agradeço muito pela Afago ter feito parte da minha juventude”, contou.

Depois de formada na faculdade, Sheila voltou para a Afago, mas dessa vez como monitora, para passar seus conhecimentos as crianças e adolescentes. “Eu acredito muito no projeto, pois já fui parte dele e conheço pessoas que realmente aproveitaram as oportunidades e ensinamentos que a Afago oferece. Por isso, decidi voltar e não pretendo sair tão cedo”, afirma a monitora.

Como ser um voluntário?

Para ser um voluntário na Associação de Apoio à Família, ao Grupo e à Comunidade (Afago), você precisa de três coisas:

1.      Entrar em contato com a Afago pelo telefone (61) 33840156

2.      Ter disponibilidade de tempo

3.      E ter vontade de ajudar o próximo

Você também pode ser um parceiro apadrinhando uma criança ou ajudando financeiramente. Através de deposito bancário na conta corrente 425612-3, agência: 2944-0, do Banco do Brasil você ajuda a mantes o projeto.

 

b3c38dd0-bae1-4dd7-835b-2d82b9a17827