Quem casa quer festa

Noivos fazem sacrifícios e enfrentam excessos para realizar o sonho do casamento

Mirelle Bernardino e Sara Sane

Lorenna Paz, 21 anos, estudante, e Bruno Tavares, 26, advogado, namoram há 4 anos e nos últimos tempos se preparam para o que julgam ser o momento mais especial dos dois: o casamento. Cerimônia, convites, espaço para festa, buffet, decoração, Djs, bolo, alianças, filmagem, fotos, vestidos e ternos. Além de enfrentar o trabalho que é  organizar o evento, os casais lidam com uma indústria, que é a do casamento. O sonho pode chegar ao preço de um imóvel, ultrapassando R$ 200 mil. Os noivos se queixam dessa indústria que superfatura em cada detalhe.

Após decidir casar, o primeiro passo é correr atrás dos preparativos. Mas neste processo de planejamento, o mais frequente é esbarrar na chamada “venda casada”, quando uma determinada empresa induz o consumidor a adquirir um primeiro produto e o condiciona a comprar outro.  É o que ocorre, por exemplo, com um dos espaços mais famosos da cidade a Hípica Hall. O aluguel do espaço inclui necessariamente a decoração e, às vezes, o buffet.

A Hípica Hall cobra, em média, R$ 29 mil pelo aluguel do ambiente.  Se incluir a decoração, o espaço sobe para R$ 36 mil. O buffet do local custa, em média, R$ 145 reais por pessoa. A Villa Giardini no Núcleo Rural Tamanduá – Paranoá trabalha com propostas mais luxuosas, por isso seu espaço é casado com a decoração. A média de valor do espaço é R$ 25 mil por 6 horas de festa com até 400 convidados.

Lorenna, que marcou o casamento para o final de 2018, encontra problemas com esse tipo de venda. “Quando você fala que seu evento é casamento e ele tem um preço diferenciado, fora quando se interessa em um salão eu só posso fechar ele junto com a decoração”, disse. Contudo, alguns espaços mais renomados alegam que essa negociação é um modo de prezar a boa qualidade do espaço.

Sem entrar na polêmica sobre a “venda casada”, a organizadora de eventos Andréa Guirro, costuma dizer que não há limites para os sonhos. É ela que planeja desde o alfinete do vestido da noiva até a lua de mel, os serviços de uma assessoria particular de eventos custam, em torno de, R$ 4 mil.

Mais casais

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o número de casamentos tem aumentado com veemência. No ano de 2014 foram realizados um total de 18.508 matrimônios no Distrito Federal, em 2015, este número subiu para 19.899.

Em conseqüência, se há o aumento de pessoas se unindo, há também um fortalecimento da chamada indústria do casamento, que eleva seus preços e faturamentos no mesmo ritmo. O espaço Recanto das Águas localizado no Park Way, há 24 anos traduz o sonho do casamento, segundo a assessoria do local a partir dos anos de 2015 e 2016, o número de matrimônios aumentou. Em todos os sábados do ano, há um casamento no ambiente.

Com o crescimento dos sonhos, os arrependimentos também crescem, ainda há muitas pessoas que dizem que o luxo do casamento não vale o sacrifício e os gastos. Para a nutricionista Geisiane Emidio, 30 anos, que se casou em 2015 a noite é muito curta comparada aos gastos exorbitantes. “Muito investimento, hoje faria diferente casaria em uma cerimônia simples e iria viajar e viver o momento eu e ele”, contou.

Já Andreia Arantes, 32 anos, militar, pensa de forma bem diferente. Ela e o noivo planejaram o casório durante um ano e meio, contrataram o cerimonial e quitaram os contratos ao longo deste período. Também abriram mão de outras despesas que o casal tinha, como saídas nos fins de semana e viagens curtas.

“Não encaramos como um sacrifício, mas sim como uma etapa necessária para consolidarmos nosso sonho”, disse Andreia Arantes. Apesar dos gastos, Andréia acredita que o casamento é um investimento que vale a pena. “Hoje quando vejo meu álbum de casamento consigo reviver cada momento, cada emoção que senti naquele dia tão especial, e isso não tem dinheiro que pague”, afirmou a militar.

“Hoje quando vejo meu album de casamento consigo reviver cada momento, cada emoção que senti naquele dia tão especial, e isso não tem dinheiro que pague”.

Modismos

Os estilos e o que se usa na moda de casamento mudam o tempo todo, de acordo com Andréa Guirro, que há uma década e meia trabalha com organização. O momento atual, segundo ela, é de decoração rústica e bolos nakedcake (ou bolo pelado em português, sem cobertura).

“Como a saída dos noivos da igreja, antigamente tava na moda a chuva de arroz, atualmente já tem vários tipos de chuva, desde chuva de prata (velinhas de aniversário) até lavanda seca e bolinhas de sabão”, contou Andréa, informando sobre os detalhes que mais estão em voga hoje no cenário do casamento.

Para enfrentar tantas alternativas, os noivos também buscam opções para bancar tantos detalhes que envolvem uma festa de casamento. A maquiadora Rayane Pereira, 30 anos, e o projetista Ricardo Gomes 33, moram juntos há 10 e têm uma filha, de 6. Neste ano, os dois decidiram oficializar a união no cartório.

Para não deixar a comemoração passar em branco, Rayane e Ricardo levantaram os preços, fizeram o orçamento e concluíram que o mais em conta seria comemorar em um restaurante. Eles usaram a criatividade para driblar tantas despesas: a noiva conseguiu permutas, roupas e fotógrafos.

Para noivas

A média de valor para o dia de “princesa” das noivas em salões, incluindo penteado e maquiagem é de R$ 400 a R$ 700. Pacotes para a mãe da noiva, do noivo, madrinhas e convidadas saem em torno de R$ 200 a R$ 300. O aluguel e compra de vestidos de noiva têm um preço médio que vai desde R$ 600 a R$ 5500.

Para noivas que buscam opções de vestido sem pagar uma fortuna, a opção é comprar vestidos online. Na loja virtual Enjoei, por exemplo, há vestidos de noiva de até R$ 1100, assim como no site Sempre noiva e no Usei uma vez.

Tabela de Preços

Cerimonial: R$ 3500 a R$ 4.500 (média)

Salão de festas e decoração: R$ 40.000 a R$ 83.000 (média)

Buffet:  R$ 100 a R$ 230 (média por pessoa)

Fotografia: R$ 8.500 reais por 800 fotos (média)

Juiz de Paz: Os preços variam se o casamento civil for no cartório (até R$ 200) ou fora (até 850).

Igreja: R$ 600 a R$ 1600 (média)

Filmagem: R$ 3000 até R$ 7000, dependendo da combinação de vídeos inclusos.

DJs: R$ 900 à R$ 1200 por 5 horas de DJ.

Joalheria: Alianças variam de R$ 1000 à R$ 3500, dependendo do gosto dos noivos.

 

Foto: Cristtiano Castro