Divirta-se bem e barato, é possível

Tem balada barata, comida de rua e apresentações ao ar livre

Daniel Neblina e Juliana Dracz

Trabalho, faculdade, obrigações …quando o fim de semana chega, a vontade é sair de casa e curtir uma boa programação, mas em tempos de crise, as opções de lazer parecem estar limitadas. Engana-se quem pensa que o lazer no coração do Brasil se resume aos tradicionais pontos turísticos, como Conjunto Cultural do Banco do Brasil (CCBB), Caixa Cultural e Planetário. Com criatividade, originalidade e informação é possível divertir gastando pouco ou quase nada. Brasília é palco de inúmeras atrações artísticas que possuem como princípio a cultura dos valores acessíveis.

O Teatro Dulcina, que fica no Conic ao lado da rodoviária central, tem um valioso retrato do movimento cultural da capital, com uma programação que conta com um time diversificado de artistas que levam ao público apresentações, documentários, encontros temáticos, entre outras atrações. Bem perto está o Teatro Bar, localizado no Setor Comercial Sul, ideal para quem gosta de bebidas e muita música: às terças-feiras à noite e em um ambiente descontraído, artistas fazem suas performances.

Ana Clara Terce, estudante de medicina veterinária, que freqüenta o Teatro Bar comprovou a qualidade das apresentações. “Hoje muitos eventos são em locais de difícil acesso, que carecem de carros. Brasília é uma cidade que possui público para os mais variados tipos de eventos, mas falta opção. ​O Teatro Bar se tornou uma alternativa interessante, que vale a pena visitar. O preço é justo e é uma opção quando a gente quer fugir das preocupações da semana”, afirmou.

Em Taguatinga Sul, não faltam alternativas nos blocos do Mercado Sul. O local é palco de produções culturais e economia solidária. No espaço, há oficinas de artesanato, ateliê de reparos e fabricação de instrumentos musicais, brechós e ainda um teatro de bolso. Na onda de uma noite animada e sem muitas despesas, a opção pode ser o  “Balada em tempos de crise”, criado pelos amigos Igor Albuquerque, Babi Bressan e Kaká Guimarães. A proposta é agitar a noite underground de Brasília, organizando festas de baixo custo, regadas a música eletrônica e em espaços públicos inusitados da cidade.

Gastronomia

Há, ainda, projetos como o da produtora Invento Produções, que promove festivais gastronômicos com entrada franca, que reúne várias opções de bar, restaurante e chefs em um espaço público. Já houve festivais de doce de leite, pastel, pizza, churros, brigadeiro, açaí e sorvete. Ygor Brito, sócio editor da Invento Produções, disse que há sempre a preocupação com o público gastar pouco, inclusive em locomoção, daí a decisão de escolher locais centrais para os eventos. Também são negociadas parcerias com empresas de transportes, como Uber e Cabify, oferecendo aos clientes códigos especiais com descontos para aqueles que têm como destino os festivais.

“Nosso festival surgiu exatamente no período de alta da crise e nossa ideia era valorizar as empresas de um determinado segmento para que elas fossem para a rua. A gente sempre trabalha com eventos criativos e acessível para todos”, ponderou empresário.

As opções também se estendem aos amantes de cinema, com o Cine Brasília, por exemplo. Projeto de Oscar Niemeyer, inaugurado em 1960 com o objetivo de trazer mais oportunidades de entretenimento aos candangos, tem na sua programação festivais de cinema, lançamentos de filmes nacionais e internacionais, exposições, mostras e debates que contribuem com o enriquecimento de nossa cultura. A programação pode ser acessada por meio da página no Facebook e os ingressos variam entre R$ 6,00 e R$ 12,00.

Fica a dica

Daniel Zukko, jornalista e diretor, desde 2013, tem chamado atenção nas redes sociais. Morador da capital e a bordo de sua “Brasília”, pega estrada com várias personalidades conhecidas em um bate-papo descontraído pelas ruas candangas. Para ele, que respira a cidade, não há limitações para se divertir quando a criatividade está em cena, seja em eventos promovidos por alguém, como shows e peças.

“Brasília é uma cidade praticamente gratuita onde é possível ir a todos os lugares. Por exemplo: estender uma toalha na Torre de TV, com alguns amigos, ao som de um violão, tomar um suco e brincar com os filhos, é de graça e seguro também. Acho que em poucos lugares do Brasil isso seja possível”,avaliou Daniel.

Programe-se!

Setembro:

29/08 a 19/09 – Peça “Admirável Mundo Cão” no Teatro Bar

01/09 – Balada em Tempos de Crise – Edição Deja Vu

02/9 Baile Dionisiaco no SubDulcina

02 e 03/9 – Festival “Quanto mais Tropicália Melhor” no CCBB

06/09 – Toca na Favela no Mercado Sul

08/9 Festa/ Show Groselha e os Boogarins no Teatro Dulcina

09/09 – Eco feira Mercado Su

14 e 15/9 Espetáculo “O mito das mulheres que viraram borboletas” no Sub Dulcina

15/09 – Festival Cultura do Rock no Sub Dulcina

18 a 22/09 – Mostra Brasília no Cine Brasília

26/09 a 17/10 – Espetáculo “Para Todas as Mães do Mundo” no Teatro Bar

Outubro:

7 e 8 – Festival de Churros

A programação ainda está sendo fechada.

Foto: Gabriela Ribeiro Anacleto e Marcus Castro