Sem idade para conectar e fazer poesia

Idosos publicam e-books em site literário e se reúnem nos sarais online

Beatriz Ribeiro 

A poetisa dos becos de Goiás Cora Colina publicou seu livro de poemas pela primeira vez, aos 75 anos, numa época em que demoraria mais de 20 anos para a internet chegar no Brasil. Com o Wi-fi e 3G, os idosos podem ver seus textos publicados na tela de um computador através da plataforma ‘Recanto das Letras’ (www.recantodasletras.com.br). O site literário reúne mais de 15 mil usuários acima de 60 anos, que são livres para publicar de simples frases a ensaios, canções e poesias que podem ser tocadas na rádio online.  Os internautas são escritores que muito se orgulham de suas histórias, como a poetisa Eudália Martins, o trovador Solano Brum, a cronista romântica Walquíria Rocha e o escritor Djalma Pinheiro, que uniu mais de 100 mil autores dispersos pela rede.

O servidor público fluminense Djalma Pinheiro, de 66 anos, faz questão de dizer que é filho de uma lavadeira e de um motorista, mas estudou nos melhores colégios do Rio de Janeiro. “A minha mãe lavava roupas para o diretor e ganhei bolsa de estudos desde o primário ao cientifico”, conta. Assim que ele entrou para a faculdade de direito, foi expulso por suas ações políticas, quando foi anistiado, não voltou para o curso de direito, mas decidiu seguir carreira de escritor. “Poetas não escrevem, e sim, psicografam o interior de si e do alheio”, disse.

Djalma acessou a internet pela primeira vez no ano de 2005 e digitou alguns de seus textos que estavam no papel. Em 2009, ele criou seu perfil no Recanto das Letras e ficou impressionado ao acessar as estatísticas fornecidas pelo site.  “Fiquei pasmo ao receber relatórios que meus leitores estavam espalhados em mais de  90  países e idealizei uma academia que reunisse os amantes de arte e literatura perdidos na internet”, disse.  Foi então que os sonhos do escritor de unir os poetas espalhados pelo mundo se tornaram realidade em 2016 com a criação da Academia Mundial de Cultura e Literatura (AMCL).

Acessibilidade

O Recanto das letras é uma rede de compartilhamento literário e de histórias de vida. A faixa etária predominante dos usuários é entre 35 e 59 anos, sendo apenas 10% deles, idosos. Apesar disso, a publicidade do site é um senhor da terceira idade usando o computador e os assinantes têm a opção de aumentar as letras e acrescentar imagens nos textos.

O fundador do site, Patrick Flemer, teve a ideia em 2004.  “O ‘nossas poesias’ foi um site que era apenas uma brincadeira minha para possibilitar o compartilhamento de poemas de autores amadores, e chegou a ter uns 300 usuários cadastrados”, disse ele. Mas Patrick quis levar a brincadeira a sério e começou a se dedicar profissionalmente ao site com apoio de colaboradores. “Hoje nós temos mais de 2 milhões de poesias em nosso acervo e milhares de outros textos publicados”, acrescentou. “Acho o Recanto das letras um dos melhores sites para utilizar, tem alguns que eu me atrapalho”, disse o bancário aposentado Miguel Carqueija, de 68 anos, que está na rede há quatro anos, na qual já publicou mais de 1.400 textos desde novelas e romances a ficção cientifica.

Desde a adolescência, o militar aposentado Solano Brum, de 75 anos, escrevia poesias e enviava cartas para sua escritora predileta, Cecília Meireles. “Eu e meus amigos enviávamos cartas para ela, que gentilmente nos respondia, nos chamando de ‘meus netinhos’ lá pelos anos de 1958”, contou.  As cartas se perderam com o tempo e Solano só voltou a escrever quando conheceu o Recanto das Letras. “Meu primeiro Poema neste gracioso site foi em 2016. Fiquei fascinado quando o vi publicado e recebendo comentários.”

Talento

Eudália Alves Martins, de 73 anos, estudou até o ensino fundamental e mexe com qualquer coração embrutecido quando recita uma poesia. Vinte e dois é o número de sua cadeira virtual na Academia Mundial de Cultura e Literatura (AMCL). Ela guarda certificados de sarais online e prêmios de melhor escritora do ano em uma pasta no computador. “Adoro gravar áudio. Muitos amigos me pedem para gravar as poesias deles e já tenho vários CDs”, afirmou a poetisa, que envia todos os dias um áudio de sua autoria para o namorado, entre os mais de mil textos e os quatro e-books publicados. “Apesar da minha idade, sou uma mulher muito romântica”, ensinou.

O amor inspira poesia e a gerente de escritório Walquiria Rocha, de 66 anos, autora de cem contos – todos autobiográficos- sob o pseudônimo de Regina Luíza. “São histórias de amores e desamores depois de quase cinco décadas que reencontrei meu primeiro namorado”, afirmou. “Vieram outros amores e eu continuei escrevendo textos que foram brotando em meu coração.”

Foto de Capa: Arquivo Pessoal | Djalma Pinheiro