Sinal analógico será desligado

Brasília será a primeira capital a transmitir o sinal digital de TV

Péricles Lugos

A partir de 26 de outubro apenas o sinal digital será transmitido em Brasília, fazendo com que ela seja a primeira capital do país a receber o desligamento do sinal analógico das transmissões de TV no país. Simultaneamente o processo será realizado em várias cidades do entorno do Distrito Federal. A TV digital não é apenas uma nova tecnologia, além de transmitir melhor qualidade de som e imagem sem interferências ou ruídos, permite também a interatividade com o telespectador, segundo especialistas.

Essa interatividade é proporcionada pelo middleware Ginga – sistema operacional nipo-brasileiro, desenvolvido pela PUC do Rio de Janeiro e Universidade Federal da Paraíba, que permite o desenvolvimento rápido e fácil de aplicações interativas para TV digital. Com essas aplicações, o usuário poderá ter acesso à internet, às operações bancárias e ao envio de mensagens para o canal de TV ao qual se está assistindo.

Os beneficiários do Bolsa Família vão receber o conversor com interatividade. Para as famílias cadastradas em outros programas sociais, como Minha Casa, Minha Vida, vai ser entregue apenas o aparelho com a função de conversão.

_mg_9823Foto: Sara Sane.

A dona de casa, Alzenira Maria da Silva, moradora do Novo Gama, é beneficiária do Bolsa Família e já recebeu o conversor da TV Digital. “A imagem ficou bem limpinha, o som é muito bom. Ficou ótimo”, observou ela. Mas há também os insatisfeitos com o sinal digital. É o caso do morador de Samambaia Norte Carlos Dias Franco. Segundo ele, vez por outra a “imagem congela”.

A responsável pelo processo de migração para as transmissões digitais é a Entidade Administradora da Digitalização (EAD), formada pelas empresas Algar, TIM, Claro e Vivo que ganharam a licitação do governo para ocupar a faixa de frequência de 700MHz, que hoje é utilizada pela TV analógica. Por meio desta entidade que haverá a concretização do processo de transição dos canais, bem como a sua divulgação e aceleração.

O diretor executivo da EAD, Antônio Carlos Marteleto, disse que entidade se preparou para este momento de migração. “Foram reunidos recursos na EAD para fazer uma série de atividades que resultem no desligamento da TV analógica e, assim, fazer a utilização dessa faixa para expandir a banda larga no Brasil”, afirmou.