Judô de A a Z

O judô quando ensinado desde criança traz benefícios acadêmicos e sociais ao indivíduo

Isabella Vieira

Derivado do jiu-jitsu, o judô é uma arte marcial japonesa usada tanto para atacar quanto para defender utilizando o próprio corpo. A prática da luta traz benefícios à vida das crianças e contribui, não somente com a saúde, mas também para melhor desempenho nos estudos. Giancarlo Soares, 30 anos, é mestre em segurança de sistemas de informação pela Charles Sturt University – Sydney Austrália e pratica judô desde os 11 anos. Ele conta que quando criança era um garoto agitado e sempre dava trabalho para os pais dentro de casa e na escola. Após as aulas de judô, o lutador relata que o seu comportamento teve mudanças e que o esporte contribuiu para a sua formação profissional e como ser humano. “Quando uma criança aprende logo cedo a respeitar os mais velhos, ter humildade, respeito mútuo e principalmente a ter limites, ela se tornará um adulto de caráter e nunca se esquecerá das suas origens. Trabalhei e morei na Austrália, por 4 anos, onde tive que colocar em prática todos os ensinamentos dos meus pais, e principalmente do que aprendi no judô para enfrentar os desafios de morar sozinho em um país que fica no outro lado do mundo”, relatou o MBA Executivo em Governança de Tecnologia da Informação.

A luta é o resultado de estudos inspirados nas formas antigas de no objetivo de encontrar uma explicação científica aos golpes. Considerado o pai do judô, Jigoro Kano baseou-se em leis de dinâmica, isto é, ação e reação, e classificou as melhores técnicas encontradas no jiu-jitsu. Esse exercício físico, também, é um artifício, no qual a criança conhece o próprio corpo e descobre a sua capacidade de executar as técnicas de defesa, além de propor uma melhoria na educação motora. Em meio aos golpes, há uma filosofia que faz com que os pequeninos começam a aprender a lidar com situações na vida. “O Judô tem uma característica muito interessante que é a tomada de decisão rápida e precisa. E isso acontece com todos nós em diferentes momentos das nossas vidas. Por esta razão, consigo pensar rapidamente antes de tomar decisões importantes, além de buscar soluções alternativas para os diversos problemas”, explica o faixa preta.

De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o judô é um dos esportes ideal para a prática entre as crianças, de modo que oferece não só uma “educação física integral”, como ensina os jovens a terem um bom relacionamento com as outras pessoas. “É impossível praticar o Judô na sua plenitude sem um parceiro de treino. Por isso, aprendemos que sempre precisaremos uns dos outros para nosso crescimento interior e também para o nosso crescimento profissional. Devemos respeitar os mais graduados e também os mais velhos, pois esses possuem um conhecimento inigualável a nos passar e a maneira correta de realizar os golpes e movimentos do Judô”, pondera Giancarlo.

Segundo o faixa vermelha e branca (rajada) da 6ª graduação do judô (6º Dan),André Mariano ressalta os proveitos que a luta pode oferecer às crianças quando aplicada desde as primeiras idades.“O judô beneficia todo o desenvolvimento corporal, mental e moral da criança. Através da valorização do companheiro de treino podemos evidenciar a importância desta prática esportiva”, explica o graduado superior.

Hoje, Giancarlo fala o quanto o judô beneficiou em sua vida. Aprendemos a ter o controle da nossa mente e do nosso corpo, que nos ajuda de maneira significativa a suportar toda essa carga que é colocada sobre nós. O Judô tem uma característica muito interessante que é a tomada de decisão rápida e precisa. E isso acontece com todos nós em diferentes momentos das nossas vidas. Por esta razão, consigo pensar rapidamente antes de tomar decisões importantes, além de buscar soluções alternativas para os diversos problemas”, declarou.

Sandra Continho, mãe de João Pedro, 09 anos, destaca a mudança do comportamento do filho dentro e fora e casa. “Antes, ele era uma criança muito ansiosa, muito nervosa. Pra mim, o João teve um aproveitamento muito grande, pois ele passou a ser mais carinhoso e atencioso. O judô trouxe benefícios na vida do meu filho”, relata a auxiliar administrativa.

Essa arte marcial também se relaciona com o desempenho escolar, em que a responsabilidade é o compromisso para o crescimento das graduações das faixas das crianças. “Os professores e mestres em judô costumam traçar um paralelo muito forte entre desempenho no judô e na escola. O jargão ‘bom de judô e bom na escola’ é muito utilizado em nosso meio para que o aluno possa receber a importância da graduação acadêmica para a sua vida futura como judoca e como profissional”, conceitua Mariano, o também árbitro internacional da Federação Internacional de Judô (FIJ).

Rodrigo Coutinho, 09 anos, fala das mudanças que sentiu depois que começou a praticar a luta. “O judô para mim é o melhor esporte que já existiu, pois ele me ajudou a me concentrar mais na escola, me deu disciplina”, testemunhou.

Giancarlo relata que os ensinamentos adquiridos no judô sempre estiveiram presente na vida acadêmica, desde criança até os dias atuais, de modo que, está sempre aplicando a filosofia do judô nos caminhos profissionais e como lutador. “O que nossos professores de Judô nos ensinam, é que não adianta ser o campeão mundial de Judô senão respeitamos nossos pais e ao próximo, não agimos de forma justa, negligenciamos as diferenças do mundo e não cuidamos do meio em que vivemos. Precisamos ser úteis à sociedade e retribuir igualmente todos os benefícios que desfrutamos como verdadeiros judocas”, declarou.

No contexto de relacionamento com pessoas, as instruções do esporte influenciam no convívio. “No ambiente familiar o maior legado que os professores e mestres deixam para seus pupilos é o respeito para com seus pais, familiares, amigos e de maneira especial com os mais velhos”, assegura o também professor da secretaria de estado de educação que atua no Centro de Iniciação Desportiva (CID).
Mariano, também defende que o desempenho da luta na infância contribui para a vida adulta, de modo a encarar cada momento com destreza e respeito ao próximo. “Com a valorização do companheiro, este judoca em fase adulta perceberá a importância de uma competitividade sadia no mercado de trabalho pautado no respeito, honestidade e capacidade de resistência, ou seja, não desistir de seus objetivos utilizando sempre argumentos éticos e morais”, conta o mestre que atua no Centro de Iniciação Desportiva (CID).

“Praticar judô é educar a mente a pensar com velocidade e exatidão, bem como o corpo obedecer com justeza. O corpo é uma arma cuja eficiência depende da precisão com que se usa a inteligência“ (Jigoro Kano).

Serviço: 

O Centro de Iniciação Desportiva (CID) é um programa do Governo do Distrito Federal, que oferece aulas de judô gratuitas. A iniciativa atende alunos da rede pública de educação, mas que havendo vaga atende, também, crianças e jovens da comunidade. Durante as aulas, os judocas terão a oportunidade de participarem dos jogos escolares de Taguatinga.

Para se inscrever, basta se dirigir a um dos colos onde funcionam as aulas e verificar com o professor se tem vaga de acordo com a idade. Em Taguatinga, o CID acontece:

  • Centro Educacional 05 (QNJ 56- área especial);
  • Centro Educacional 04 (QNG/07 área especial).

É válido lembrar que as inscrições prezam o calendário escolar.

O faixa rajada 6º Dan André Mariano, realiza um trabalho voluntário que atende adultos que estejam interessados em realizarem o esporte. Para isso, bata se encaminhar até o Centro Educacional 05 de Taguatinga e se inscrever pessoalmente nas aulas.

Foto de capa: Gabriela Mota